sexta-feira, 1 de julho de 2016

Espetáculo "Morder a Língua" - Teatro do Boi - 29 e 30 de Julho





Chega a Teresina a performance de dança contemporânea Morder a Língua, atualmente em circulação nacional. O trabalho é uma coautoria dos artistas João Lima (Brasil), Anna Rubirola (Espanha) e Cecilia Colacrai (Argentina) e será apresentado nos dias 29 e 30 de julho, às 20h, no Teatro do Boi. A turnê é contemplada pelo Prêmio Funarte Klauss Vianna 2014, do Ministério da Cultura, e já contou com apresentações em Palmas e São Paulo e ainda segue para Cuiabá e Recife.

Morder a Língua, que também conta com apoio do edital Iberescena, estreou na Espanha em dezembro de 2014 no Centro Cívico Barceloneta e, posteriormente, participou da mostra IN SITU, no Centro de Artes Santa Mónica, assim como também contou com uma breve temporada no Antic Teatre.

A peça, que nesta circulação é executada por João Lima e Cecília Colacrai, explora a comunicação entre as pessoas. Minimalista, discorre sobre relações entre palavra e gesto; linguagem e movimento; coreografia e possibilidade de gerar diferentes significados. Não há objetos de cena, mas há trilha e sonoplastia.

São algumas das questões elencadas pela performance: Em que medida a linguagem delimita nossa cognição e relações com o mundo? Quando tudo está dito, quais seriam os espaços dos não-ditos? O que manifesta um corpo? Quem fala? E quem escuta?



Atividade de formação

Além das apresentações, os artistas também ministram a oficina gratuita de performance Composição em Movimento dias 30 e 31 de julho, na Casa da Cultura de Teresina, das 10h às 13h30. Interessados podem se inscrever pelo e-mail oficinasmordealingua@gmail.com

A oficina busca refletir sobre os processos de construção e desconstrução da identidade, interrogando o meio teatral através de relações entre a palavra e as ações, o movimento e seus potenciais; desenvolvendo estratégias para a criação dramatúrgica. Os artistas darão uma atenção especial à composição da dança em relação ao contexto e ao olhar, observando a tomada de decisões no momento em que a dança está sendo criada. Este trabalho se dá de forma coletiva: como observar o outro e a si mesmo ao mesmo tempo?

Sobre os artistas

Anna Rubirola

Trabalhou como intérprete em diversas companhias da Espanha, França e Inglaterra. Entre suas criações estão Coristes (com Maria Montseny, 2011) e Dia Zero (2012). Dá aulas de dança contemporânea em diversas instituições. www.annarubirola.wordpress.com

Cecilia Colacrai

Bailarina, criadora independente e professora de dança contemporânea. Trabalha em diversas companhias. Entre suas obras estão Gira (com Jorge Albuerne, 2007), Azul como uma laranja (com João Lima, 2009) e Sola? (2005). www.ceciliacolacrai.com

João Lima

Nascido no Recife e radicado em Barcelona, João Lima tem participado de projetos no Brasil e na Europa. Em Pernambuco, apresentou os espetáculos Ilusionistas (2012), O outro do outro (2010), Noturno (2003) e A história do zoológico (2001), além de ter promovido, em 2014, o seminário Articulações. No Rio de Janeiro, fez parte do elenco de Natureza monstruosa (2011), da coreógrafa Marcela Levi. Também trabalhou nos filmes pernambucanos Brasil S/A, Em trânsito e Amor, plástico e barulho. www.joaolima.info

FICHA ARTÍSTICA

Criação: João Lima, Cecilia Colacrai e Anna Rubirola
Interpretação: Cecilia Colacrai e João Lima
Direção artística e dramaturgia: João Lima
Colaboração nos textos: Pablo Colacrai
Desenho de som: Andy Poole
Desenho de luzes: Joana Serra
Direção técnica: Natalie Revorêdo
Adaptação do desenho de luzes para SP: Celso Linck
Operação de luz e som SP: Celso Linck
Fotos e vídeos: Tristán Pérez-Martín
Desenho gráfico: A Firma
Realização: Urra! Criações
Residências: La Visiva, La Caldera, Centre Cívic Barceloneta e L´Estruch
Apoio: SESC Arsenal e SESC Palmas
Incentivos: Prêmio Funarte Klauss Vianna e Iberescena
Agradecimentos: Núria Bernaus, Maria Edite Costa Lima, Pablo Ramirez, Maria Cristina Boa Nova, Marcelo Pedroso e Símio Filmes, Lucas Koester, Alice Coutinho, Marcelo Evelin e Regina Veloso (CAMPO), Mireia de Querol, Guillem Mont De Palol, El Conde de Torrefiel, Oscar Abril Ascaso e Llorenç Parra.
Duração: 45 minutos

SERVIÇO

Morder a Língua
Local: Teatro do Boi (R. Rui Barbosa, 339 – Matadouro)
Data: 29 e 30 de julho
Horário: 20h
Ingresso: R$ 20,00 inteira
Mais informações: facebook.com/UrraCriacoes/

Seja o primeiro a comentar.

Postar um comentário