terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Cine Doroteu - Filmes da 3ª semana de Fevereiro



UMA AVENTURA LEGO * * * *
[The Lego Movie, AUS/EUA/DIN]
Animação
100 min
Além do sempre charmoso stop motion, possui uma história criativa, ágil e recheada de referências à cultura pop. A direção é da mesma dupla por trás do primeiro “Tá Chovendo Hambúrguer”, de 2009, Phil Lord e Christopher Miller, também autores do roteiro. Tudo aqui é em versão Lego, o que de cara estimula nossa nostalgia. O mote é um operário comum, certinho, que acredita ser especial a ponto de salvar o mundo de Lord Business. Entre os personagens que cruzam a tela, estão os Super Amigos – Batman, Superman, Lanterna Verde e Mulher Maravilha –, Michelangelo [tanto o pintor quanto a Tartaruga Ninja], Gandalf, Dumbledore, o presidente Lincoln, até o time de basquete da NBA 2002. Há ainda referências divertidíssimas a “O Exterminador do Futuro”, “Star Wars – Episódio V”, “Matrix”. Resumindo, delicioso para as crianças e estimulante para os adultos.



FRANCISCO BRENNAND * * *
[Idem, BRA, 2012]
Documentário
75 min
A solidão de um artista em meio às suas obras nesse documentário intimista com narrativa heideggeriana. Realizado por Mariana Brennand Fortes, tataraneta do personagem-título, é quase um filme pré-fúnebre ao expressar, por meio da narração de Hermila Guedes, os anseios da morte, ou ainda uma morte em vida, seja por um viés inconsciente ou não. O que é visível em primeiro plano é a relação de Brennand com sua arte – a pintura, depois a cerâmica – e seu mausoléu onde decidiu isolar-se tanto tempo atrás. A fotografia de Walter Carvalho oscila entre a pura contemplação e a ingênua curiosidade. Sem participações periféricas, é o artista pernambucano quem nos conduz o filme inteiro. Não se trata, porém, de uma experiência cansativa. Mérito da jovem diretora e de seu fascinante protagonista.


OLDBOY – DIAS DE VINGANÇA * *
[Oldboy, EUA, 2013]
Suspense
104 min
Até é possível perceber um esforço de Spike Lee em dialogar com o filme original de Chon-Wook Park. Ele tenta brincar um pouco com as expectativas de quem conhece a trama, além de ganhar ponto por manter a violência – agora mais gráfica. Não dá para dizer que o elenco seja ruim; Josh Brolin tenta e Elizabeth Olsen continua sua escalada ao primeiro time de Hollywood. O roteiro de Mark Protosevich arquiteta pequenas mudanças em cima do que já vimos ser extraído do mangá de Tsuchiya e Minegishi, mas nada que faça tanta diferença. No fim das contas, é apenas mais um remake que cai no vazio.


CAÇADORES DE OBRAS-PRIMAS * *
[The Monuments Men, EUA/ALE, 2014]
Drama
118 min
O filme de George Clooney é bem intencionado, o tema é cinematográfico, mas o resultado nunca alça voo. Uma narrativa de guerra na qual a guerra é apenas um luxuoso pano de fundo, algo já claro no desembargue na praia da Normandia totalmente calma e deserta. O elenco de nomes famosos não parece nem um pouco inspirado, assim como a própria condução de Clooney. A cara de tédio de Bill Murray durante toda a produção diz tudo. O roteiro do diretor junto com Grant Heslov é trôpego, sem qualquer emoção ou sensação de perigo. E estamos falando de estadunidenses no meio da Segunda Guerra Mundial tentando salvar obras de arte. Onde está o filme? Talvez o score assinado por Alexandre Desplat seja o ponto alto de uma experiência que, por algum motivo, ficou só na intenção.

______
Péssimo * Desastre * ½ Fraco * * Assistível * * ½ Bom * * * Acima da média * * * ½ Ótimo * * * * Quase lá * * * * ½ Excelente * * * * *

Seja o primeiro a comentar.

Postar um comentário