Pesquisar neste blog

Carregando...

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Espetáculo "Antes da Coisa Toda Começar" - Theatro 4 de Setembro - 18 a 20 de Novembro



Depois de temporadas de sucesso no Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília (além de apresentações em Curitiba, Londrina, Belo Horizonte, Porto Alegre, Vitória, Maceió e Salvador), o Armazém Companhia de Teatro chega a Teresina com o espetáculo Antes da Coisa Toda Começar.

O que: Antes da Coisa Toda Começar – Armazém Companhia de Teatro
Onde: Theatro 4 de Setembro - Praça Pedro II Centro/ Teresina
Quando: 18 a 20 de novembro de 2011 - Sexta e sábado às 21h e domingo às 20h.
Quanto: R$ 30,00 e R$ 15,00 (meia entrada p/ estudantes, maiores de 60 anos e clientes do Cartão Petrobras – na compra de até 2 ingressos)
Lotação: 550 lugares
Telefone: 86 3222 7100

Sucesso de crítica e público, a montagem faz curta temporada de 18 a 21 de novembro, no Theatro 4 de Setembro. Na sexta e sábado, as apresentações serão às 21h, e domingo às 20h. Sob a direção de Paulo de Moraes, este é o 19º espetáculo em 23 anos de trabalho do premiado Armazém Companhia de Teatro. O Armazém Companhia de Teatro é patrocinado pela Petrobras. O elenco é formado por Patrícia Selonk, Thales Coutinho, Rosana Stavis, Ricardo Martins, Marcelo Guerra, Verônica Rocha e Karla Tenório.

Antes da Coisa Toda Começar é o 10º texto inédito de Maurício Arruda Mendonça e Paulo de Moraes – que desde 1995 produzem dramaturgia original, incluindo o premiadíssimo Inveja dos Anjos, de 2008, já lançado em DVD e, no final do ano passado, lançado em livro, com ensaio assinado pela pesquisadora e crítica Tânia Brandão.

A peça alia humor cáustico a doses impactantes de boa música. Pela primeira vez, os atores executam a trilha sonora, cantando também, em plena cena. Antes da Coisa Toda Começar teve como ponto de partida a vontade do Armazém Companhia de Teatro de abordar a arte e a criação, de evocar as primeiras sensações que um artista vivencia, de falar sobre o momento em que o indivíduo se acredita imortal, capaz de tudo. O resultado vai além. Faz com que o público em geral, artista ou não, se identifique com as emoções e contradições apresentadas pelas personagens, que levam a existência ao fio da navalha. Cada uma delas complementa o outro, sempre tendo a morte como pano de fundo. A música se revela como ambientação para as sensações das personagens e o rock’n’roll surge como trilha para os sentimentos solitários, aqueles mais íntimos e melancólicos, e para os sentimentos coletivos, aqueles mais festivos e contagiantes. A direção musical é de Ricco Viana, que integra a banda ao vivo.

Montagem + trajetória do Armazém Companhia de Teatro

Em Antes da Coisa Toda Começar os limites do tempo são praticamente eliminados. As personagens trafegam entre o passado, o presente e o futuro com desenvoltura e lucidez. A montagem, com direção de Paulo de Moraes, propõe uma estrutura fragmentária de narrativa cênica. Uma estrutura que dialoga diretamente com os caminhos mais inovadores da arte contemporânea. Uma linguagem que parte do princípio de que para se entender a complexidade do mundo atual, cada vez mais saturado e fragmentário, tornam-se necessárias novas estruturas narrativas que retratem essa fragmentação.

Uma das principais marcas do Armazém Companhia de Teatro, a cenografia e a ocupação do espaço cênico ganham protagonismo em Antes da Coisa Toda Começar. Atores surgem através de portas frontais e laterais, paredes se movem, criando enquadramentos inesperados e a banda de rock – que vez por outra os atores formam para a execução da trilha sonora – ocupa plataformas suspensas a 2 metros do solo. “É uma montagem toda muito sensorial e abstrata. É um espetáculo para a gente se reconhecer”, diz Paulo de Moraes. Antes da Coisa Toda Começar pode ser considerado uma espécie de auto-biografia dos 23 anos de trajetória do Armazém Companhia de Teatro. O espetáculo sintetiza a estética desenvolvida pela companhia e pelo diretor Paulo de Moraes e, acima de tudo, realiza um mergulho nas engrenagens que sustentam a magia da arte teatral. Propõe uma reflexão sobre o teatro como caixa espelhada onde os reflexos humanos se multiplicam.

Quando principia Antes da Coisa Toda Começar o espectro de um ator (interpretado por Ricardo Martins) começa a materializar suas lembranças corporificando a memória. Dessa corporificação, surgem três personagens que espelham as facetas de seu eu. São três personagens que enfrentam impasses decisivos diante da vida. Téo (Thales Coutinho) é um ator em crise que começa a se questionar sobre o sentido de seu ofício. Zoé (Patrícia Selonk) é uma jovem que avança sem amarras sobre as belezas e abismos da paixão. Léa (Rosana Stavis) é uma cantora que tenta se recuperar de uma tentativa de suicídio mal sucedida. Três personagens atravessando processos distintos, entre os impasses da vida e os impasses da morte, seguindo na tentativa de não se acomodarem diante das regras do mundo.

As três histórias correm paralelas, de maneira independente. São narrativas que não estabelecem conexões objetivas entre si. As conexões são todas realizadas no campo da subjetividade. Ao espectador é reservado o papel de desenvolver essas conexões pelos estímulos sensoriais que a montagem oferece. A platéia se vê diante de verdadeiras epifanias a serem decifradas como alegorias da vida.

Nos últimos anos, o Armazém dedicou-se a bem-sucedidas montagens de dois autores geniais do século XX, Bertolt Brecht (Mãe Coragem e seus Filhos) e Nelson Rodrigues (Toda Nudez será Castigada). Após estas realizações, a companhia retomou o caminho da dramaturgia própria com Inveja dos Anjos, que conquistou o Prêmio Shell de Melhor Texto (Maurício Arruda Mendonça e Paulo de Moraes) e Melhor Atriz (Patrícia Selonk).

Antes da Coisa Toda Começar foi indicado ao Prêmio Shell de Melhor Iluminação e ao Prêmio APTR de Melhor Espetáculo, Melhor Autor, Melhor Cenografia e Melhor Iluminação.

Ficha técnica:

ANTES DA COISA TODA COMEÇAR | Montagem do Armazém Companhia de Teatro

Direção: Paulo de Moraes | Dramaturgia: Maurício Arruda Mendonça e Paulo de Moraes | Direção Musical: Ricco Viana | Cenografia: Paulo de Moraes e Carla Berri

Iluminação: Maneco Quinderé | Figurinos: Rita Murtinho | Projeções de Vídeo: Rico Vilarouca e Renato Vilarouca | Operador de Luz: Marcos Martins | Técnico de Palco: Regivaldo Moraes | Programação Visual: Alexandre de Castro | Fotografias: Mauro Kury | Produção Executiva: Flávia Menezes | Produção: Armazém Companhia de Teatro | Patrocínio: Petrobras

Elenco: Patrícia Selonk | Thales Coutinho | Rosana Stavis | Ricardo Martins | Marcelo Guerra | Verônica Rocha | Karla Tenório

Assessoria de Imprensa: Fernanda Camargo 21 7819-4360 | 2221.2190
fernandacamargo@armazemciadeteatro.com.br

Fotos 1 e 2 - Crédito Chico Nogueira
1 - Téo ( Thales Coutinho) e o ator ( Marcelo Guerra)
2 - Médico (Marcelo Guerra) e Léa ( Rosana Stavis)

Foto 3 - Crédito Mauro Kury
Em cena:
3 - Zoé ( Patrícia Selonk) e o Espectro ( Ricardo Martins)

2 comentários

Alan.MB disse...

Vai haver espetáculo na segunda-feira dia 21?

@JhonU2spfc disse...

Não, havíamos errado

Postar um comentário