Pesquisar neste blog

https://1.bp.blogspot.com/-rBKwDq3-vQc/WVyEm-wwGtI/AAAAAAAAniA/Amp1A1qWsp4Qg43lgdnbkbrRfcZ0XBZiACLcBGAs/s1600/3.jpg    Os eventos e promoções estão sendo colocados no instagram
Grupo no Facebook               Grupo no Telegram               Grupos no Whatsapp

quarta-feira, 28 de julho de 2010

'Downloadeando' - 10 discos mais influentes da década.

Primeiro de janeiro de 2001, se você tinha por volta de 12 anos ou mais - ou mesmo uma boa memória - você provavelmente vivenciou toda a balburdia que se segmentou neste novo século. Viu atônito os atentados de 11 de Setembro, o Brasil ser pentacampeão de futebol no Japão, viu um operário assumir o de nosso país e um negro virar presidente de uma nação que há pouco tempo subjugava as pessoas de cor, a criação do Euro, o Big Brother, a segunda guerra do golfo, a conclusão do mapeamento do genoma humano, descobriu que Plutão não era mais um planeta, quis um iPod, viu a popularização da internet, do pen drive, os downloads e, claro, viu a evolução musical que passamos por esta década. Viu surgirem álbuns de garagem que viraram obras de acervo, clássicos e que revolucionaram totalmente a música e nossa geração.

Para esta coluna de ‘debut’ disponibilizo minha lista com os 10 discos mais influentes desta década, nas colunas que seguirão postarei um álbum por dia, contando histórias curiosas da banda, da gravação, das influências, músicas, enfim, o objetivo é mostrar boa música pra todo mundo e dar disponibilidade a quem não conhece certas coisas de ser apresentado a tal, seja pra gostar ou pra vir aqui xingar e dizer algo como ‘essa banda é uma porcaria!’, enfim, o espaço é livre a críticas e sugestões.

Devo dizer que listas são sempre polêmicas, o objetivo é simplesmente catalogar, por ordem de importância, os dez principais álbuns dessa época, obviamente que por questão de, talvez, gosto deixe de colocar aqui uma coisa ou outra, mas isso vai de cada um. No máximo posso dizer que vou tentar ser parcialmente imune (sic) a gostos e postar aqui os mais importantes CD’s para esta geração. Leia bem, ESTA GERAÇÃO. De todo caso leiam e aproveitem os link’s e o usem pra algo útil.


10 – Interpol – Turn on the Bright Lights (2002) / Estados Unidos

O Interpol foi uma das primeiras bandas a surgirem no novo cenário do rock, teve como debut este disco que é um bom mix do post-punk do final dos anos 70 com a tecnologia e qualidade sonora das bandas desta década, tal mistura é claramente vista em diversas músicas deste álbum, como em ‘NYC’, ‘Stella Was A Driver And She Was Always Down’ ou ‘Obstacle 1’. Bastante atenção a este disco.
http://www.4shared.com/file/kxtOsg0J/Interpol_-_Turn_on_the_Bright_.htm

9 – Beirut – The Gulag Orkestar (2006) / Estados Unidos
O Beirut é uma das bandas que surgiram por influências folk’s do selo Elephant 6 (Neutral Milk Hotel, Of Montreal, etc), popularizada aqui no Brasil por emprestar ‘Elephant Gun’, do EP ‘Long Island’, para a minissérie ‘Capitu’. O CD foi quem deu grande destaque não só ao Beirut como também o novo tipo de som que varia do folk ao rock clássico com influência na música libanesa. A banda usa instrumentos pouco convencionais em uma banda como ukulelê, violino, acordeon, metais e etc. Postcards from Italy é uma música pra se ouvir deitado em uma rede no domingo a tardinha, recomendado!

8 – The Libertines – Up the Bracket (2002) / Inglaterra
Uma das bandas que ajudaram a criar o tão deturpado ‘indie rock’, o Libertines estourou homonimamente ao The Strokes nos Estados Unidos, trazendo a tona novamente o rock sujo, simples, cru, sem muitos efeitos eletrônicos, mas com pulsação da juventude da época dos guetos ingleses, popularizado no mundo todo com outra ideia, Muita atenção a dançante ‘Vertigo’ e a ‘What a Waster’.
7 – The Mars Volta – De-Loused in the Comatorium (2003)/ Estados Unidos
Progressivo, psicodélico, experimental, enfim, uma porrada na audição de qualquer um. Este disco simplesmente surpreendeu o mundo com linhas instrumentais inimagináveis, totalmente quebradas, sensacionais e influências claras da cultura mexicana. Os texanos que formaram o Mars Volta após o fim do At The Drive-in ganham espaço nessa lista pela incrível variação instrumental nesse disco. Atenção totalmente especial a ‘Inertiatic ESP’ e ‘This Apparatus Must Be Unearthed’. Volume máximo!

6 – Radiohead – In Rainbows (2007) / Inglaterra
A banda comandada por Thom Yorke dispensa comentários, na estrada desde 1988, os ingleses revolucionaram seu som em cada disco, partindo do som sujo do Pablo Honey ao In Rainbows, que consolidou as viagens eletrônicas dos britânicos. Revolucionário também o fato deste ter sido um divisor de águas no comércio de discos na Internet: O In Rainbows era disponibilizado de graça no site oficial da banda e pagaria quem quisesse e a quantia que quisesse pelo trabalho. Curioso que, mesmo assim, o In Rainbows faturou mais do que todos os trabalhos do Radiohead juntos. Atenção a dançante ‘15 Step’ e viajante ’Videotape’.
5 – Queens of the Stone Age – Songs for the Deaf (2002) / Estados Unidos
Os californianos do QotSA sempre foram conhecidos pela revolução musical que proporcionaram em seus albuns anteriores, porém este veio com o ingrediente especial: Dave Grohl, lendário baterista do Nirvana e Frontman do Foo Fighters. Disco tido como ‘salvação do rock’ (mais uma rs). Repita centenas de vezes em sua playlist ‘No One Knows’.

4 – Gorillaz – Gorillaz (2001) / Estados Unidos
Talvez uma das maiores revoluções da tecnologia, a banda fictícia criada totalmente por Damon Albarn, vocalista do Blur, e pelo desenhista Jamie Hewlett, revolucionaram o trip rock com músicas suaves e gostosas de se ouvir, com as atuações impecáveis de Murdoc, 2D, Noodle e Russel, os membros fictícios da banda. ‘Clint Eastwood’ e ‘19-2000’ são incríveis.
3 – Franz Ferdinand – Franz Ferdinand (2004) / Escócia
Alex Kapranos junto com os outros membros do Franz Ferdinand surpreenderam o mundo com um disco incrivelmente dançante, frenético, alegre, empolgante e que até hoje tem a marca registrada de Take me Out, This Fire, Jacqueline entre outras. Dificilmente achará aqui uma música que não seja minimamente legal.
2 – Arctic Monkeys – Whatever People Say I am, That’s What I’m Not (2006) / Inglaterra
Talvez um dos discos que mais causaram revolução na década, surgido dos guetos e pub’s de Sheffield, na Inglaterra, o quarteto liderado por Alex Turner seguiu a linha criada pelo Libertines e simplesmente estourou no mundo inteiro, tornando-se uma das bandas mais escutadas na história da música. Um álbum que se deve ouvir do início ao fim onde poucos conseguem apontar uma música ruim neste trabalho.
1 – The Strokes – Is This It (2001) / Estados Unidos
Provavelmente aqui está o disco que começou tudo isso que ouvimos e vivenciamos hoje, o quarteto liderado por Julian Casablanca modificou a música como se ouvia até então, começando o dito ‘indie rock’ e popularizando o mesmo em terras americanas, já que o mesmo já começava a ser feito na Inglaterra com o Libertines. Eleito o melhor disco da década por 9 entre 10 listas seria no mínimo ignorância de minha parte não o colocar aqui.
No mais, comentem, indiquem, falem, critiquem, julguem, aplaudam, vaiem, enfim, expressem a opinião de vocês a respeito, a quem quiser se arriscar, elabore sua lista, todo comentário será bem-vindo.
A quem interessar, vai aqui meu humilde Twitter: http://twitter.com/willameee 

 

11 comentários

Unknown disse...

Eu colocaria o Audioslave - Audioslave (2002) de boresta nessa lista.. Mas tá muito boa, concordo o/

Yan
@mamaeboteomeu

Nícolas disse...

Parabéns pela coluna e pelo post. Achei bem interessante.

@watermelonranny disse...

Super apoio essa lista ae. Só trocaria o Gorillaz por Inside In / Inside Out da The Kooks. Parabéns pela coluna, meu bem ;)

Willame Figueredo disse...

Eu não considero o Audioslave uma banda, digamos 'revolucionária', apesar de o tal do 'new grunge' não ser algo que goste eu diria que nessa lista poderia ter alguma coisa do Creed, que foram a primeira banda a seguir na linha do Pearl Jam e abrir caminho para um caminhão de bandas iguais.
Sobre o Gorillaz, bem, todo mundo escutou Gorillaz, ficou viciado nas músicas e via feito um zumbi os clipes numa época que não existia Youtube, eles têm seu valor rs..

Patimfei disse...

belo trabalho no post
queria q vc visse só um detalhe..os discos
7 – The Mars Volta e
8 – The Libertines tão linkados p/ cd do Beirut

Willame Figueredo disse...

Valeu Patimfei.
Link's corrigidos!

Unknown disse...

Confesso que desconheço 04 das bandas citadas. Gostei muito da pesquisa, só achei que o titulo deu um ar muito generalizado, vc enfatizou mais o rock com suas variações, o que não deixa de ser o ritmo mais influente..soh que não podemos esquecer de muitos outros artistas com outros ritmos que influenciaram e potecializaram a decada..As quatro que não conheço vou procurar ouvir..valeus..show de bola

danielmmfe disse...

acho que system of a down foi uma banda que revolucionou também o período do fim dos anos 90 para o início do século assim como outras do chamado "new metal" .

Anônimo disse...

Acho que ficou muito restrito ao mundo "indie". Mas tudo bem, esta lista é apenas uma opinião pessoal do autor.


*Escócia seria o correto lá no Franz Ferdinand

Willame Figueredo disse...

Listas, sempre polêmicas.

Mas o nome 'Escócia' lá no Franz Ferdinand já está correto.

Unknown disse...

Gosto muito dos artigos de ótima qualidade do seu Blog. Quando for possível dá uma passadinha para ver nosso Curso de Ingles. Daienne

Postar um comentário