terça-feira, 4 de março de 2014

Cine Doroteu - Robocop

ROBOCOP * * * ½
[Idem, EUA, 2014]
Ficção
117 min

Sai o cinismo do holandês Paul Verhoeven e entra a crise existencial do brasileiro José Padilha, num remake absorvente mas bem resolvido. De cara, trata-se de um filme diferente que dialoga com o original.

Com fama internacional graças a “Tropa de Elite” e sua sequência, só o fato deste ser apenas seu terceiro longa de ficção, e logo atualizando um cult dos anos 1980, já merece destaque. Não caia na conversa de total liberdade criativa, isso não existe em Hollywood. Sobretudo nessas condições. Padilha fez o que lhe foi permitido. E fez bem.

Mas será que sabe ter filmado justamente a cena que para Verhoeven era piegas? Refiro-me à interação de RoboCop com a família, um dos cernes da nova narrativa e abortada da versão de 1987. Ainda assim, gosto de boa parte do filme de Padilha. Sempre que dá, homenageia a fonte, usa referências interessantes e ainda acrescenta questões cruciais como consciência, livre arbítrio, a própria questão da identidade.

Não à toa, a grande cena desse remake é o desmonte do personagem-título, sua [nossa?] reação perante a verdade. Outra ousadia positiva é o truque feito para criticar sem sutilezas a sociedade norte-americana, a neurose bélica, papel de Samuel L. Jackson ecoando o Fortunato de “Tropa de Elite 2”.

Por isso as críticas no país do tio Sam foram tão bipolares? Em outro momento, parece que estamos jogando um game desses violentos em primeira pessoa. Tudo proposital, claro.

Pena todo o caminho do último ato para a resolução não ter criatividade. Pena a inexpressividade de Joel Kinnaman, salva por Gary Oldman. Pena a armadura preta, o filme começa a cair quando o vilão, Michael Keaton, sugere a cor. Pena a violência contida. E pena, principalmente, à falta do humor negro presente no filme de Verhoeven. Das pontes entre ambas as versões, essa é que mais faz falta.

Péssimo * Desastre * ½ Fraco * * Assistível * * ½ Bom * * * Acima da média * * * ½ Ótimo * * * * Quase lá * * * * ½ Excelente * * * * *

Monteiro Jr.

Seja o primeiro a comentar.

Postar um comentário