Pesquisar neste blog

Carregando...

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Mostra de Cinema Mazzaropi - Casa da Cultura - 9 a 13 de Julho



Durante toda a semana, de 09 a 13 de julho, o Clube de Vídeo da Casa da Cultura realiza Mostra de Cinema em homenagem ao centenário do nascimento de Amácio Mazzaropi, como prévia do Festvídeo.

Confira a programação:

- Dia 09, segunda-feira: "Candinho", de 1958
- Dia 10, terça-feira: “A Banda das Velhas Virgens”, de 1979
- Dia 11, quarta-feira: “O Gato de Madame”, de 1986
- Dia 12, quinta-feira: “Casinha Pequenina”, de 1963
- Dia 13, sexta-feira: “Jeca e a Égua Milagrosa”, de 1980

Durante a próxima semana, o Clube de Vídeo, na Casa da Cultura de Teresina, abre as portas para homenagear um dos maiores artistas do país numa prévia do Festival de Vídeo de Teresina, que acontece em setembro. Será realizada uma mostra de cinema com obras de Amácio Mazzaropi, que, em 2012, marca o seu centenário de nascimento.

A mostra será realizada durante toda a semana na Casa da Cultura a partir das 18h30 com entrada franca. Na programação, filmes que marcaram a história do artista e a do cinema brasileiro, que teve em Mazzaropi um ícone na comédia eternizado em Jeca.

De acordo com a programação, a mostra inicia na segunda, dia 09, com o clássico Candinho, de 1958, cujo personagem principal homônimo, interpretado por Mazzaropi, foi encontrado nas águas sujas de um riacho. Ao seu lado estava um jumentinho, chamado Policarpo. Candinho e o jumento cresceram juntos, mas um dia Candinho, um pouco mais inteligente que Policarpo, convenceu-se de que a vida era muito dura, já que por qualquer coisa errada era espancado pelo seu benfeitor, o proprietário da fazenda. É quando decide fugir para São Paulo, só que a cidade grande assusta os dois caipiras. Candinho conhece Filoca (Maria Prado), uma taxi-girl por quem se apaixona.

Na terça-feira, dia 10, em cartaz entra “A Banda das Velhas Virgens”, de 1979, que narra os encalços do Caboclo Gostoso (Mazzaropi), maestro de uma banda feminina formada unicamente por mulheres idosas e beatas. Orgulho da pequena cidade, a banda é mantida pelos donativos recolhidos pela igreja. Porem Gostoso se mete em confusões após encontrar um pequeno saco com jóias.

Na quarta-feira, dia 11, é a vez de “O Gato de Madame”, de 1986, em que Mazzaropi é Arlindo, um engraxate que passa a ser "perseguido" por um gato que se afeiçoa a ele. Por esta sorte, acaba sem querer sendo alvo de uma quadrilha de bandidos mafiosos no estilo dos filmes americanos, loucos para por as mãos no gato e abocanhar a recompensa que uma madame cheia da nota está oferecendo. Na fuga ele irá se deparar com muitas confusões que incluem um encontro inusitado com D.Pedro I no museu do Ipiranga, um concurso de Miss e até uma inesperada visita à um centro espírita, onde é confundido com uma alma.

Na quinta-feira, dia 12, será exibido “Casinha Pequenina”, de 1963, considerado a obra-prima da Mazzaropi, trazendo um elenco de estrelas e marca a estréia de Tarcísio Meira no cinema. É uma tocante história sobre a luta contra os poderes corruptos dos coronéis e um épico que tem como pano de fundo, a libertação dos escravos no Brasil do século XIX. Interpretações soberbas e imagens belíssimas em um clássico do cinema nacional, campeão de bilheteria!

Encerrando a programação, será exibido na sexta-feira, dia 13, o clássico “Jeca e a Égua Milagrosa”, de 1980. No filme, que se passa em plena época de eleição, dois coronéis fazem de tudo para serem eleitos prefeitos. Os dois têm terreiros de umbanda e candomblé e os utilizam para manipular e influenciar a população. Um deles possui uma égua a quem os fiéis atribuem poderes de cura. Os milagres feitos pela égua correm pela cidade e a coisa piora mesmo quando Raimundo (Mazzaropi) diante das confusões que cria, é obrigado a casar com a égua do fazendeiro.

Seja o primeiro a comentar.

Postar um comentário