Pesquisar neste blog

Grupo no Facebook               Grupo no Telegram               Grupos no Whatsapp

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Downloadeando - Pato Fu - Música de Brinquedo (2010)

A minha ida à Pedro II no festival de inverno deste ano foi uma verdadeira aventura. Minha família é daquelas tradicionais na cidade, meu pai, avós, tios e alguns primos são nascidos e criados em Pedro II, com direito a troféus crivados de opala por reconhecimento a contribuições com o município, além do mais importante em épocas de festival na capital: Um teto confortável. Apesar de todas as vantagens e motivos eu NUNCA havia ido pra um Festival de Inverno, mas neste foi diferente. Até segunda-feira da semana do festival eu não iria por motivos pessoais, porém acabei decidindo ir após ser convencido por um amigo para ir com ele de carona. Ótimo, dispensei viajar com meus parentes pra ir com ele. Quinta-feira, pela manhã, acordei cedo para esperar este meu amigo aparecer pra combinar a hora de viajar, só que o filho da mãe de última hora diz que irá de carona. Fodeu para meu lado? Digamos que quase...

As 8:50 ligo pra outra amiga perguntando como era ia, ela me diz: "Estou indo de ônibus e tem vaga pra ti, mas a gente vai sair daqui a meia-hora, corre pra cá", não preciso dizer que minha mala não estava arrumado, né? Enfim, 'arrumei' (sic) a mesma em 5 minutos, tomei aquele banho de 2 minutos, fui no banco correndo e cheguei lá a tempo. Ao chegar lá descobri que eram três ônibus que foram alugados por uma guria, muito gente boa, a qual esqueci o nome que havia organizado uma excursão com três ônibus onde a maioria das pessoas iria acampar em uma escola. Ótimo, consegui como ir. Sento-me na cadeira que sobrara - sem trava de encaixe o que me obrigava a ficar deitado ou torto a viagem inteira- e fiquei tímido em acender um cigarro com medo de incomodar alguém. Quando o ônibus parte escuto a mais 'rolante' pedra, aka reggae, da minha vida e sinto o cheiro da 'brisa da jamaica', nada que me surpreenda. Após 4 horas ouvindo reggae e 'brisando por tabela' cheguei em Pedro II com a sensação de ter viajado na própria 'babilônia em chamas', segundo uma outra amiga que viajou comigo.

Valeu à pena, muito mais por ter vivido o festival, conhecido gente nova e tudo isso que se faz em uma viagem. Musicalmente falando me interessava só por duas atrações, especialmente uma: Fernanda Takai - se não tivesse conseguido ir na quinta, dia que ela tocou, provavelmente nem iria - e digo a vocês que valeu cada sacrifício financeiro (passei a quinzena no vermelho) quanto físico ou psicológico. E é a relembrar dessa viagem e da Fernanda, meu amor platônico desde os 12, que venho a falar aqui do novíssimo CD do Pato Fu, intitulado 'Músicas de Brinquedo'.

O disco torna-se surpreendente logo de cara ao ouvinte saber, antes de colocar seu fone nos ouvidos, que o disco foi gravado quase inteiramente com instrumentos de brinquedo, daí o nome do disco. São teclados de brinquedo, genius, saxofone de plástico, teclado-calculadora, além da participação de crianças cantando ao longo das faixas... é algo surpreendente, sonoramente lindo de se ouvir. Imaginar músicos profissionais com anos de estrada tocando com o auxílio de instrumentos musicais de brinquedo é algo que beira o surreal, agora imagine isso atrelado a voz doce, meiga e deliciosa da Fernanda Takai, inimaginável!

O CD é composto totalmente de covers. São versões adaptadas pela banda especialmente para se encaixar aos instrumentos de brinquedo usados pelo quinteto mineiro: De Zé Ramalho a Beatles, passando por Paralamas do Sucesso, Ritchie, Roberto Carlos, Rita Lee, Lulu Santos, enfim, músicas consagradas na música nacional e internacional em notas que dificilmente você imaginaria em ouvir, um CD feito tanto para seu filho como para o seu pai.

Surpreendente do início ao fim, o Pato Fu mostra mais uma vez o quanto é uma banda renovável, adaptável e extremamente criativa. Mesmo depois do sucesso estrondoso da Fernanda Takai em sua turnê solo ela consegue voltar à banda criando versões simplesmente lindas de músicas que talvez você nunca imaginaria ouvir ('Love me Tender' ao som daqueles tecladozinhos de brinquedo em que você bate um martelinho pra tirar som é de cortar o coração até do mais turrão). Até agora, na minha opinião - ênfase ao 'minha opinião' - é o melhor disco nacional lançado esse ano pela criatividade em readaptar músicas antigas.

Se eu pudesse eu baixaria um decreto que obrigaria todo mundo a ter este disco em seu computador pra ouvir nos mais diversos momentos, mas como não posso eu deixo aqui a livre acesso o download do álbum a quem se interessar. Mas baixe com a certeza de que vai adorar, ponho minha conta em risco! Além do download vai uma gravação da banda tocando 'Live and Let Die' dos Beatles, música 7 do CD.


Pato Fu - Música de Brinquedo
Para fazer o download clique aqui
1 - Primavera (Vai Chuva) (Cassiano / Sílvio Rochael)
2 - Sonífera Ilha (Branco Mello / Marcelo Fromer / Toni Bellotto / Ciro Pessoa / Carlos Barmak)
3 - Rock And Roll Lullaby (Cynthia Weil / Barry Mann)
4 - Frevo Mulher (Zé Ramalho)
5 - Ovelha Negra (Rita Lee)
6 - Todos Estão Surdos (Roberto Carlos / Erasmo Carlos)
7 - Live And Let Die (Paul McCartney /Linda McCartney)
8 - Pelo Interfone (Ritchie/Bernardo Vilhena)
9 - Twiggy Twiggy (Lalo Schifrin/Hal David/Burt Bacharach/Morton Stevens/ Nanako Sato)
10 - My Girl (Smokey Robinson/Ronald White)
11 - Ska (Herbert Vianna)
12 - Love Me Tender (Elvis Presley / Vera Matson)

Ps1: Gente, eu não vou fazer postagens de discos como 'The Wall' do Pink Floyd ou 'Fear of the Dark' do Iron Maiden, não desmerecendo os mesmos, é que acho que o objetivo da coluna é mostrar coisa nova ou no mínimo não tão conhecidas, não é?

Ps2: Siga-me em @willameee

Ps3: Meus sinceros agradecimentos ao meu amigo Yan (@mamaeboteomeu) que me repassou o link do download do álbum para que escutasse essa maravilha. Valeu!

2 comentários

@watermelonranny disse...

Belíssimo disco! Me apaixonei pelo backvocal feito por crianças. É lindo, é relaxante, é viajante e completamente deleitante!

Joe disse...

mas quem deu o insight pra coluna fui eu!

Postar um comentário